Dra. Renata Oliveira Fernandes - C.R.M. 79.532

Rua José de Almeida, 27 Nova Campinas | Campinas/SP | CEP 13092-400 | Fone (19) 3255-2717

logo sculpteur png.png

Peeling de Cristal

Peeling de Cristal consiste em uma moderna unidade de esfoliação mecânica progressiva e controlada que se utiliza de um circuito de vácuo loop fechado para promover uma pulverização de microcristais de óxido de alumínio sobre a epiderme.

A esfoliação promove uma estimulação da renovação da pele devido a retirada das camadas inoperantes presentes (camada córnea), contribuindo na eliminação das linhas cutâneas superficiais, estimulando a regeneração celular, incrementando a produção de colágeno e melhorando a qualidade da pele.

 

Microdermoabrasão é ideal para:

  • Pessoas que não têm tempo para ficar fora do trabalho ou socialmente.

  • Pessoas ativas que não querem interromper sua vida social nem atividades esportivas.

  • Pessoas jovens com poucas e precoces mudanças na pele que desejam uma melhora na aparência

 

Efeitos fisiológicos

  • Melhoria da qualidade da pele pelo afinamento da camada epitelial

  • Regeneração celular

  • Incremento na produção de colágeno, elastina e reticulina

  • Ativação da microcirculação

  • Estímulo da renovação celular

 

Indicações

  • Fotorejuvenescimento - prevenção e tratamento

  • Hiperqueratoses

  • Redução de linhas finas de expressão, rugas finas e médias

  • Cicatrizes inestéticas causadas pela acne, traumas ou cirurgias

  • Estrias

  • Desordens Pigmentares: melasmas, hipercromias e manchas

  • Cicatrizes pós-traumáticas ou pós-cirúrgicas

  • Poros dilatados, microcomedões e irregularidades cutâneas

  • Peles seborreícas

  • Rinofima

  • Foliculite

  • Cicatrizes superficiais e quelóides

  • Pré-tratamento de laser e peelings

  • Pré-cirúrgico estético

  • Preparo para aplicação de princípios ativos

  • Como complemento de cirurgias estéticas e tratamento de laser

Precauções

  • Evitar exposição solar 48 antes e após cada sessão

  • Controle no uso de cosméticos a base de ácidos

  • Uso de técnicas de peeling ou de produtos ceratolíticos concomitante ás sessões de microdermoabrasão

  • Excesso na esfoliação que possa atingir a camada basal ou germinativa da epiderme

  • Fototipo IV

 

Níveis de esfoliação:

- Superficial ou grau I: retirada da camada córnea com a pele adquirindo um aspecto esbranquiçado, ao princípio, seguido de um eritema leve com edema leve.

- Médio ou grau II: remoção das camadas da epiderme, sem chegar à derme, onde a pele adquire um eritema e edema mais fortes.

- Profundo ou grau III: atinge derme papilar, onde se observa um orvalho sanguíneo, alcançando a junção dermo-epidérmica. Há formação de crostas.

 

O nível atingido é dependente dos 5 fatores abaixo:

1. Aplicadores:

- Aplicador de 90 micras: maior intensidade de esfoliação

- Aplicador de 130 micras: média intensidade de esfoliação

- Aplicador de 250 micras: menor intensidade de esfoliação

 

2. Fluxo de cristais:

- Quanto maior o fluxo de cristais, maior o nível de abrasão

 

3. Intensidade do vácuo:

- Quanto maior a intensidade de sucção, maior o nível de abrasão (o ajuste é realizado pelo botão do Vacuum Intensity).

 

4. Velocidade dos movimentos:

- Quanto mais rápido mais superficial será a abrasão.

 

5. Quantidade de passadas:

- Quanto maior o número de passadas, mais profunda será a abrasão.

 

* Revitalização

  • O nível de esfoliação deve ser superficial para estimular a síntese de colágeno e elastina.

* Manchas hipercrômicas

  • O nível de esfoliação deve ser superficial para não gerar hipocromia.

* Estrias

  • O nível de esfoliação deve ser a nível intermediário para que haja neovascularização e indução de regeneração do tecido.