Dra. Renata Oliveira Fernandes - C.R.M. 79.532

Rua José de Almeida, 27 Nova Campinas | Campinas/SP | CEP 13092-400 | Fone (19) 3255-2717

logo sculpteur png.png

​O cabelo é formado, em sua maior parte, por uma proteína que também é encontrada nas unhas.

​A queda excessiva de cabelo pode ter muitas causas diferentes. É importante descobrir a causa e se o problema responderá ao tratamento médico ou não.

Dermatologistas irão avaliar o problema do paciente buscando informação sobre sua dieta, uso de medicamentos, inclusive vitaminas tomadas nos últimos 6 meses, história familiar, alguma doença recente e cuidados habituais com os cabelos. No caso de mulheres que apresentem esta queixa, o médico deve perguntar sobre ciclo menstrual, gravidez e menopausa.

 

Dentre as principais causas podemos citar:

  • Pós-parto

  • Febre alta, infecção grave e resfriado forte

  • Doenças da tireóide

  • Dieta inadequada em proteínas

  • Medicamentos

  • Tratamentos de câncer

  • Pílulas anticoncepcionais

  • Baixo nível de ferro no sangue

  • Grandes cirurgias

  • Doenças crônicas

ALOPÉCIA AREATA:

É o tipo de queda de cabelo que leva a uma área pequena e arredondada totalmente sem cabelos ("pelada") e do tamanho de uma moeda ou maior. Raramente, ocorre a perda completa dos cabelos do couro cabeludo e do corpo.Esta alteração pode acometer crianças e adultos de qualquer idade.A causa da alopécia areata ainda é desconhecida. As pessoas apresentam excelente saúde física fora este sinal. Em alguns casos os cabelos podem voltar a crescer espontaneamente. O tratamento consiste no uso de medicações tópicas ou, em alguns casos, sistêmicas.

CALVICE HEREDITÁRIA:

É a causa mais comum, sendo que esta tendência pode ser herdada tanto do lado materno quanto do lado paterno da família. Mulheres com este "traço" desenvolvem cabelos ralos, não se tornando completamente carecas.Essa condição é chamada de alopécia androgenética e pode começar na adolescência, aos 20 ou 30 anos. Não há cura, porém tratamentos clínicos podem amenizar o processo.​

 

INFECÇÃO POR FUNGO:

Inicialmente formam-se pequenas áreas de descamação que podem se estender e resultar em áreas de fios quebradiços, eritema (vermelhidão), edema (inchaço) e infiltração. Essa infecção é contagiosa e mais comum em crianças. Tratamento com medicação oral leva à cura.

COSMÉTICOS E CUIDADOS INAPROPRIADOS:

Tratamentos químicos incluindo tinturas, água oxigenada, descolorantes, alisantes, permanentes e outros raramente, danificam os cabelos se forem usados corretamente. No entanto, se usados com muita freqüência ou deixados por tempo prolongado, os cabelos podem tornar-se fracos e quebradiços.Também o uso de mais de um tipo de produto simultaneamente ou descolorantes em cabelos já previamente descoloridos pode danificar os cabelos.Se por estes motivos os cabelos se tornarem frágeis, o melhor é interromper o uso até o crescimento de novos fios.

 

Lavar, pentear e escovar muito freqüentemente pode danificar os fios tornando-os quebradiços. Condicionadores e creme rinse podem ser usados após o xampu para facilitar o penteado.Quando o cabelo está molhado, é mais frágil, devendo-se evitar pentes, escovas e fricção intensa com toalhas.Use sempre pentes e escovas macias. Evite os penteados que tracionem intensamente os cabelos, como "rabo de cavalo" e tranças. Estes, quando usados, devem ser alternados com os cabelos soltos, pois presos constantemente podem levar a quedas.

 

IMPLANTE DE CABELOS:

Homens e mulheres que apresentam calvície podem considerar o implante de cabelo como uma alternativa.  Qualquer pessoa que tenha apresentado queda irreversível de cabelo pode ser um candidato ao implante. O procedimento  envolve a mudança de cabelos de uma área doadora (que contenha fios normais) para a receptora (careca ou com poucos cabelos).